segunda-feira, 23 de dezembro de 2013

Posição da AZU, no âmbito do processo de Consulta Pública do Projeto Norte Aves – Produção Avícola, L.da

Publicamos abaixo, Posição da AZU, no âmbito do processo de  Consulta Pública do Projeto Norte Aves – Produção Avícola, L.da, sito na Corujeira, na freguesia de Canas de Senhorim,  sendo a nossa Associação, uma organização não governamental em defesa do ambiente, após a consulta do Projeto da empresa Norte Aves para a instalação e exploração avícola, optamos por face aos motivos apresentados, bem como à documentação e respetivas exposições e pareceres já constantes do presente processo de licenciamento, emtir opinião desfavorável no que se refere ao licenciamento ambiental da referida empresa.
Na medida em que na presente data, não estão ainda cumpridas as condicionantes impostas pela Declaração de Impacto Ambiental.

sábado, 14 de dezembro de 2013

AZU comemorou o seu 11º Aniversário com Colóquio “Tratar a água para um melhor ambiente.”

No passado dia 7 de Dezembro, a AZU- Associação Ambiente em Zonas Uraníferas, comemorou o seu 11º aniversários com o Colóquio “Tratar a água para um melhor ambiente”, subordinado ao Tema das ETARS
Na sessão de abertura, António Minhoto - Presidente da AZU, depois de ter traçado o historial da AZU, realçou o papel da mesma na recuperação ambiental das Minas de Urânio desativadas na Zona Centro, na qual teve  um papel fundamental, por via das multiplas ações e pressões que efetuou nesse sentido, chamando a atenção para o problema e pressionando para a sua resolução, Salientou também a importância da Associação face à inoperância do poderes!

quarta-feira, 23 de outubro de 2013

AZU reúne com EDM

No âmbito do acompanhamento que a AZU tem efetuado ao trabalho de descontaminação ambiental das minas de urânio desativadas, da responsabilidade da EDM – Empresa de Desenvolvimento Mineiro, elementos da  Direção da AZU  estiveram em visita e reunião com a EDM no passado dia 9 de Outubro.
A visita iniciou-se de manhã na Barragem Nova ( Urgeiriça/ Nelas)  e foi acompanhada pelo presidente da EDM, Engº Carlos Caxaria, pela responsável Engª Sofia e demais técnicos da obra.

quarta-feira, 2 de outubro de 2013

Comunicado de imprensa - Enorme descarga poluente na Ribeira da Pantanha

Após 4 meses da queixa apresentada pela AZU ao Ministério do Ambiente, denunciando mais uma vez o atentado ambiental de que é alvo a Ribeira da Pantanha e por conseguinte o rio Mondego, teve lugar nos últimos dias uma enorme descarga poluente. Os efluentes que estavam concentrados na Barragem de Valinhos foram libertados para a Ribeira da Pantanha, que por sua vez face à força das águas que vieram com as ultimas chuvas, fizeram com que estes resíduos fossem para o Rio Mondego. 

terça-feira, 10 de setembro de 2013

A AZU na jornada antinuclear de Almaraz, em 8.9.2013

Cerrar Almaraz y todas las demás
Foi esta a palavra de ordem ouvida ontem, domingo, dia 8 de Setembro, em Navalmoral de la Mata, cidade mais próxima da central nuclear espanhola de Almaraz, construída nas margens do rio Tejo, muito perto da fronteira com Portugal.
Ao apelo de várias organizações ambientalistas espanholas, como foi o caso da ADENEX e dos Ecologistas en Acción, compareceram partidos políticos, como a Izquierda Unida e o EQUO, e mais de três centenas de manifestantes.

segunda-feira, 2 de setembro de 2013

4º VOGAR CONTRA A INDIFERENÇA - CONVITE

VILA VELHA DE RODÃO - MONTE DO ARNEIRO
A iniciativa consiste numa descida em canoa que terá o seu início no Caís Fluvial de Vila Velha de Rodão, com paragem na ilha da Fonte das Virtudes, e cuja expedição tem como destino o Caís Fluvial do Arneiro, realçando a beleza deste património natural e cultural associado ao rio no domínio da geologia e da biodiversidade, onde culminará num almoço convívio.
Nesta atividade irá proceder-se à leitura da Carta Contra a Indiferença na qual se evidencia a necessidade de defender o rio Tejo da sobre exploração da água devido aos transvases da água do Tejo para o sul de Espanha, da agressão da poluição agrícola, industrial e nuclear, como sejam, os riscos de contaminação e poluição do rio Tejo face à eventual extração de urânio em Nisa, à localização de cemitérios nucleares, à produção de energia nuclear na central nuclear de Almaraz e a sobre produção das industrias de celulose em Vila Velha de Ródão. Esta atividade é organizada pelo proTEJO – Movimento Pelo Tejo,ADENEXAmigos da Terra Associação Sociocultural de Santana (ATAS),Ambiente nas Zonas Uraníferas (AZU), CerciZimbra - Cooperativa para a Educação e Reabilitação de Cidadãos Inadaptados de Sesimbra, Movimento Urânio em Nisa Não (MUNN), Movimento Cívico Ar Puro, EcoCartaxo eQUERCUS – Associação Nacional de Conservação da Natureza. Contamos ainda com o apoio da Casa de Pasto "O Túlio", da empresaIncentivos Outdoor, da Geopark Naturtejo da Meseta Meridional, da Rede de Cidadania por Uma Nova Cultura da Água do Tejo/Tajo, e dos municípios de Nisa e de Vila Velha de Rodão. Está prevista uma mobilização significativa de grupos de cidadãos de ambos os lados da fronteira, provando-se que a defesa dos rios ibéricos ultrapassa as fronteiras administrativas e une os cidadãos com os mesmos problemas, independentemente da sua nacionalidade. 

sábado, 15 de junho de 2013

AZU – campanha de sócios: ” Vamos ajudar o Ambiente!”

É cada vez mais reconhecido o papel da AZU na defesa da recuperação das minas de urânio abandonadas, não menos importante tem sido a sua intervenção em outras ações de defesa do ambiente. 


Contudo, para que a sua atividade continue, é cada vez mais necessária a participação e a ajuda de TODOS aqueles que revêm na AZU e que a consideram uma associação ambiental com a qual se identificam.

Desta forma, e com vista a agregar na nossa Associação pessoas interessadas em assuntos de Defesa do Ambiente, apelamos a todos os nossos amigos para que se façam igualmente sócios, preenchendo a ficha de sócio publicada, digitalizando a mesma e enviando-a por correio eletrónico para: ambiente.zonas.uraniferas@gmail.com
 Posteriormente, receberão um e-mail com mais informações sobre a participação na qualidade de sócio da AZU.

Vamos ajudar o Ambiente!

Adere à AZU!




domingo, 9 de junho de 2013

Nota de Imprensa - Concentração contra a instalação no Concelho de Nelas da PGG

No seguimento do processo de denúncia e contestação da instalação da Empresa PGG no Concelho de Nelas, a AZU – Ambiente em zonas Uraníferas, teve como iniciativa das Comemorações do Dia do Ambiente, a organização de uma Concentração no Ecocentro de Nelas.


Na mesma, estiveram presentes para além de elementos da AZU, alguns populares e, ainda dirigentes dos Verdes e PCP. Em declarações à Comunicação Social, António Minhoto, Presidente da AZU, salientou os principais motivos para esta contestação, referindo que:
No projeto inicial para a unidade industrial que a PGG pretende instalar em Nelas, em local ainda não decidido, está definido para a sua laboração o tratamento de subprodutos animais de Categoria 1, instalando inicialmente as Categorias 3 e 2;


A quantidade de água a utilizar no processo será de 250m3/dia, que virá de furos artesianos e da rede;


A exiguidade das dimensões do Concelho para um empreendimento com as dimensões requeridas.


Não há garantia que a libertação de odores intensos resultantes do processo de cocção (cozimento) dos subprodutos seja totalmente eliminada. Sendo que um dos maiores impactes ambientais e sociais deste tipo de instalações resulta da libertação de fortes cheiros na vizinhança e, não havendo em Portugal legislação no âmbito dos odores, o que faz com que uma fábrica possa estar a cumprir a legislação e ao mesmo tempo a exalar fortes odores com consequências dramáticas para o ambiente envolvente e para as pessoas que o habitam. 


As Tentativas de instalação da empresa noutros municípios do país, foi combatida pelas populações e que as investigações levadas a cabo sempre comprovaram fortes danos em termos ambientais.


Se considera provado que a instalação da PGG trará impactos ambientais, ao nível das emissões atmosféricas, efluentes líquidos, fauna e flora;


O transporte dos subprodutos passará necessariamente por vias que atravessam as populações, e mesmo outros Concelhos, com as consequências que daí possam advir.


Existe um historial ambiental no concelho de Nelas altamente negativo;


A relação custo/benefício decorrente da instalação da PGG fará com que as populações, vejam a sua qualidade de vida gravemente diminuída;


E por fim, e não menos importante, o impacto no turismo e nas unidades termais numa perspectiva de desenvolvimento.


Reiterou ainda a posição já assumida na Sessão Pública de 16 de Fevereiro de 2013, de lutar com todos os meios legais contra a instalação da empresa PGG na região e no caso concreto no concelho de Nelas, tendo em conta as consequências nefastas que trará.


Finalmente lançou um repto aos Candidatos Autárquicos à Câmara Municipal de Nelas e às Juntas de Freguesia de Nelas e de Canas de Senhorim, no sentido de se pronunciarem acerca deste assunto, tendo em linha de conta que estamos perante um problema que afeta o desenvolvimento sustentado do Concelho.

A Direção da AZU

segunda-feira, 13 de maio de 2013

Nota de Imprensa – Poluição na Ribeira da Pantanha


A poluição da Ribeira da Pantanha, contaminada por efluentes industriais da empresa Borgstena, inutilizou o trabalho de despoluição e recuperação feito no âmbito do projeto de recuperação ambiental da Urgeiriça,onde se gastaram cerca de 10 milhões de euros e no caso concreto 2 milhões euros em Valinhos.
A AZU, ao longo dos últimos 5 anos, tem vindo a tratar este assunto junto do Ministério do Ambiente, que levantou processos de contra-ordenação e aplicou coimas à Borgstena. Nas diversas reuniões que a AZU tem tido com os responsáveis da Borgstena, estes, ao mesmo tempo que assumiram as responsabilidades da empresa, sempre se mostraram disponíveis e interessados em alterar toda esta situação. Para isso, entre outras medidas, substituíram a empresa responsável pelo tratamento de resíduos, investiram em novos filtros, realizaram obras na ETAR e adquiriram novas bombas para circulação das águas residuais. Desse empenhamento é a AZU testemunha, bem como os vários ofícios enviados ao Ministério do Ambiente propondo-se a alterar a situação. 
Em face do avultado custo de uma ETAR, a Borgstena e a Câmara Municipal de Nelas acordaram partilhar responsabilidades na realização desse projeto, ficando a empresa de fazer uma parte das obras necessárias na sua ETAR e a Autarquia a construção de um sistema para tratamento final dos efluentes industriais. Porém, a parte da Câmara Municipal de Nelas não avançava, o que levou a AZU a reunir com o Executivo Camarário diversas vezes. Finalmente, a Câmara investiu 150 mil euros em poços absorventes, os quais permitiriam resolver a situação, no entanto os resultados deste investimento foram nulos, em virtude de os mesmos não atingirem os objetivos pretendidos, continuando a Ribeira a ser alvo do mesmo tipo de poluição. Acresce a esta questão que a AZU tentou sem êxito obter por parte da Câmara Municipal de Nelas o projeto dos poços de tratamento, tendo proposto uma visita ao local acompanhada dos técnicos da Câmara, para em conjunto e numa atitude sempre de cooperação construtiva que tem caracterizado a atuação da AZU, ser analisada a situação. No entanto estas tentativas ficaram sem resposta por parte do Executivo.
Porque o ambiente não pode continuar com esta agressão, porque a luta em torno das minas abandonadas, onde se investiram milhares de euros públicos do Estado e ainda Comparticipação Comunitária na despoluição das mesmas, se vê posta em causa, continuando a montante, a situação da Zona Industrial do Pisco, sem ver resolvidos os problemas nos seus efluentes industriais. Porque a população e os agentes locais assim o exigem, a AZU, terminada esta iniciativa pela defesa do ambiente em que constatamos que é esse o desejo das populações de acabar com este foco de poluição. Situação esta inadmissível face ao grave crime para o ambiente que está ser cometido, é obrigada a diligenciar junto do Ministério da Agricultura, do Mar, do Ambiente e Ordenamento do Território, Agência Portuguesa do Ambiente e Comissário Europeu do Ambiente, pelos danos ambientais que persistem em continuar, nomeadamente a afectação da flora, fauna, agricultura e ainda os cursos de água, com especial ênfase para o rio Mondego onde vai desaguar, responsabilizando a Câmara Municipal de Nelas pelos danos futuros que possam advir para o Concelho

A Direção da AZU, 13 de Maio de 2013



sábado, 4 de maio de 2013

Caminhada em defesa do Ambiente - da nascente até à foz - contra a poluição da Ribeira da Pantanha



DURANTE O PERCURSO FICARÁ DEMONSTRADO QUE A RIBEIRA DA PANTANHA CONTINUA A SER ALVO DE VARIAS DESCARGAS POLUENTES E O SEU IMPACTO, VERIFICAREMOS AINDA QUE A ESTAÇÃO DE TRATAMENTOS QUE A CÂMARA DE NELAS CONSTRUIU NÃO RESOLVEU ESTE PROBLEMA.
NO SEU PERCURSO PODEMOS VER VARIOS LUGARES DE RARA BELEZA.
CONCENTRAÇÃO NAS CALDAS DA FELGUEIRA ÀS 9.30 JUNTO AO CHAFARIZ DA AVENIDA, SEGUINDO DEPOIS EM MEIO DE TRANSPORTE ORGANIZADO PARA VALINHOS.
A COMUNICAÇÃO SOCIAL SERA CONVIDADA PARA PODER DENUNCIAR ESTE ATENTADO AMBIENTAL.
ALMOÇO NAS CALDAS DA FELGUEIRA
INSCRIÇÕES (CAMINHADA E ALMOÇO) ATÉ AO DIA 10 DE MAIO PARA O TM -
966395014


ORGANIZAÇÃO- AZU -AMBIENTE EM ZONAS URANÍFERAS

PELO AMBIENTE NÃO FALTES !

É PRECISO DIZER BASTA !

sábado, 27 de abril de 2013

Quercus insiste no encerramento da Central Nuclear de Almaraz, em Espanha

A associação ambientalista Quercus voltou esta sexta-feira a exigir o encerramento da Central Nuclear de Almaraz, na província de Badajoz (Espanha), no dia em que passam 27 anos do acidente nuclear de Chernobil, na Ucrânia.
Em comunicado enviado à agência Lusa, os ambientalistas consideram a Central Nuclear de Almaraz um "potencial perigo" para Portugal, uma vez que está situada a "100 quilómetros" da fronteira e junto ao Rio Tejo.
A Quercus recorda que a Central Nuclear de Almaraz "já ultrapassou o seu período normal de funcionamento e, não obstante, viu prolongado em 10 anos o seu período de actividade".
Considerando que "há um risco preocupante" com as centrais nucleares espanholas, a associação ambientalista recorda ainda que, após o último acidente nuclear em Fukushima, no Japão, o Grupo de Reguladores de Segurança Nuclear Europeu levou a cabo um conjunto de testes de stress (stress tests) nas centrais nucleares.
Almaraz foi uma das centrais inspeccionadas nos testes de segurança e, segundo os ambientalistas, "nem todos os factores de risco foram considerados", situação que leva a Quercus a considerar que "não estão contemplados os riscos de agressões externas".
"A título de exemplo, o risco sísmico no ´stress test` à central de Almaraz efectuado pelas autoridades espanholas está claramente subavaliado e só foi analisada a resistência sísmica para sismos equivalentes aos que ocorreram entre 1970 e a actualidade", lê-se no comunicado.
A Quercus considera ainda ser "importante recordar" que, caso não exista água suficiente para o arrefecimento dos reactores em Almaraz, "poderá acontecer um problema idêntico" ao que se verificou em Fukushima, "onde o sistema de arrefecimento falhou e conduziu ao desastre".

segunda-feira, 25 de fevereiro de 2013

Encerrar a Central Nuclear de Almaraz no Rio Tejo!

A Central Nuclear de Almaraz está com graves problemas, são 26 incidentes desde 2012! Não vale a pena discutir o grau de classificação do incidente. Se a peça que avariou é vital ou não! Sabemos dos problemas em geral que afectam o funcionamento da central, a corrosão dos geradores de vapor, a insuficiência dos sistemas de refrigeração de emergência entre outros, conforme explanou Francisco Castejón na sessão pública ocorrida a semana passada na Biblioteca Pública de Cáceres.
São paragens consecutivas que realçam de forma clara e evidente a degradação de toda a estrutura. A sua vida útil terminou há dois anos, não queremos acreditar que tenha sido a crise que levou a que se prolongasse o seu funcionamento por mais 10 anos.
A central nuclear fica a pouco mais 100Km de Portugal (Portas de Ródão), é refrigerada pelo Rio Tejo já de si tão maltratado pelos transvases, pela poluição dos esgotos de Madrid, pela escorrência dos químicos utilizados na agricultura intensiva, pelas industrias de celulose, entre outros!!!
Chega-nos a Lisboa um Rio completamente poluído e sem água, a poluição que se vê e a oculta (Almaraz). E não se manifestam? Há tanta água que confundem o Rio com o Oceano!
As populações dos distritos de Portalegre e Castelo Branco devem pedir transparência neste assunto ao governo português, e que este pressione o governo espanhol no sentido de encerramento definitivo da Central de Almaraz!

A direção da AZU 25.02.2013

segunda-feira, 18 de fevereiro de 2013

Incidente en la central nuclear de Almaraz


La Central Nuclear Almaraz II (Cáceres) se ha visto obligada a parar tras un incidente en una válvula que ha afectado al presionador, pieza clave para la seguridad de la central, según informó hoy Ecologistas en Acción.

El pasado sábado, a las 00.00 horas, tuvo lugar una incidencia en el reactor nuclear de Almaraz II, ya que se produjo un aumento de presión en una pieza denominada presionador, que superó los valores normales durante más de 25 minutos.
Esta pieza se encarga de mantener el agua del circuito primario de refrigeración del reactor a suficiente presión para que no hierva a pesar de las altas temperaturas que alcanza el agua, que superan los 300 grados centígrados.
Según la organización ecologista, la integridad del presionador resulta clave, por tanto, para la seguridad de la central, puesto que su rotura haría que el agua se convirtiera en vapor y no fuera capaz de refrigerar las barras de combustible de la planta. Añade que la rotura del presionador podría dar lugar a un accidente con peligro de fusión del núcleo.
Asimismo, sostiene que la sobrepresión en el presionador se debe al fallo de una válvula que, a su vez, ha sido provocado por la puesta a tierra accidental de un cable que controla aquella.
La organización indica que el Consejo de Seguridad Nuclear (CSN) ha calificado el incidente como nivel 0 en la Escala Internacional de Sucesos Nucleares (INES, en sus siglas inglesas), aunque de forma provisional, alegando que los valores de la presión alcanzada en el presionador no superan las Especificaciones Técnicas de Funcionamiento (ETF) de la central.
Sin embargo, para Ecologistas en Acción, "estamos ante un fallo de más envergadura y que debería calificarse como nivel 2, puesto que ha fallado un sistema clave para la seguridad. No se conoce la causa última por la que el cable se ha conectado a tierra y podría haberse dado la circunstancia de que la presión superara las ETF y se produjera un fallo del presionador".
Según la organización, este incidente pone de manifiesto la enorme complejidad de las centrales nucleares, en las que hay numerosos sistemas que están interrelacionados, y el fallo de uno de ellos, afirma, puede dar lugar a un accidente severo. En este caso, añade, basta que se active una toma de tierra para que tenga problemas una pieza clave para la seguridad.

18.02.2013 http://www.diariofinanciero.com/

domingo, 17 de fevereiro de 2013

MOÇÃO APROVADA NA SESSÃO PÚBLICA ACERCA DA PGG


Os participantes na sessão pública que decorreu no Pavilhão Multiusos de Nelas, no dia 16 de Fevereiro pelas 15h, para discutirem a instalação no concelho da empresa espanhola PGG – PetFood, aprovam a seguinte moção:

Considerando que:

- A unidade industrial que a PGG pretende instalar em Nelas, em local ainda não decidido, recebendo para a sua laboração subprodutos animais de Categoria 1, instalando inicialmente as Categorias 3 e 2;
- A quantidade de água a utilizar no processo será de 250m3/dia, que virá de furos artesianos e da rede;
- Não há garantia que a libertação de odores resultantes do processo de cocção (cozimento) dos subprodutos seja totalmente eliminada;
- Tentativas de instalação da empresa noutros municípios do país, foi combatida pelas populações;
- Vários habitantes das populações vizinhas da empresa localizada em Ribeira d’Ondara (Lérida – Catalunha) fizeram considerações negativas como o aparecimento de ratos, a água secar nos poços; só o estado económico do país permitiu a instalação da empresa, pois em situações normais preferiam não a ter na região, e as zonas mais atingidas pelos maus cheiros encontrarem-se na direcção dos ventos dominantes;
- A instalação da PGG trará eventuais impactos ambientais, ao nível das emissões
atmosféricas, efluentes líquidos, fauna e flora;
- O transporte dos subprodutos passará necessariamente por vias que atravessam as populações, com as consequências que daí podem advir;
- Havendo um historial ambiental no concelho de Nelas altamente negativo;
- O impacto negativo que a empresa trará ao Município de Nelas e mesmo aos concelhos limítrofes;
- Tendo em consideração a relação custo/benefício decorrente da instalação da PGG para as populações, com a qualidade de vida gravemente diminuída;
- E por fim, e não menos importante, o impacto no turismo e nas unidades termais numa perspectiva de desenvolvimento sustentável,
Decidem:
Lutar com todos os meios legais contra a instalação da empresa PGG na região e no caso concreto no concelho de Nelas.

Esta Moção será entregue:

· À Câmara Municipal de Nelas
· À PGG – PetFood
· Ministério da Agricultura, Mar, Ambiente e Ordenamento do Território
· Ministério da Economia e do Emprego
· Grupos Parlamentares
A moção foi aprovada com 1 voto contra e 2 abstenções. 

sábado, 9 de fevereiro de 2013

SESSÃO PÚBLICA: A instalação no Concelho de Nelas da Empresa Espanhola PGG



16 de Fevereiro 2013 – 15
 Local:  Edifício Multiusos - Nelas

A instalação no Concelho de Nelas da empresa espanhola PGGProteínas y Grasas Gimeno SL, e o seu impacto no meio ambiente, saúde das populações e desenvolvimento económico.

Convidados:
Câmara Municipal de Nelas, PGG, Movimentos cívicos e
ambientalistas e Partido Ecologista Os Verdes



Convida-se a população a estar presente
Desta decisão muito depende o nosso Futuro!

sexta-feira, 1 de fevereiro de 2013

Posição e relatório da AZU acerca da Instalação da Empresa PGG no Concelho de Nelas


Na sequência da anunciada instalação da PGG - Proteinas y Grasas Gimeno SL  no Concelho de Nelas,   e após termos elaborado todo um dossier acerca da matéria e ainda efetuado uma visita a Espanha, à sede da referida empresa  e zonas limítrofes, em conjunto com uma delegação mais ampla, incluindo a Câmara de Nelas e outros, no sentido de recolhermos elementos e avaliarmos a situação no terreno. A AZU – Ambiente em Zonas Uraníferas, torna pública a sua posição contra a instalação da empresa PGG na região e, nomeadamente no concelho de Nelas, a qual se encontra patente e circunstanciada no relatório abaixo.
Mais informamos que iremos realizar uma Sessão Pública, no próximo dia 16 de Fevereiro pelas 15h, no Edifício Multiusos em Nelas, para a qual estamos a convidar a Câmara Municipal de Nelas, os representantes da Empresa PGG, Movimentos Ambientalistas Portugueses e Espanhóis, Movimentos de cidadãos que têm vindo a contestar a mesma instalação noutros Concelhos e ainda o Partido Ecologista “ Os Verdes”.

RELATÓRIO DE VISITA – PGG Group: PetFoodIngredients SL
DATA: 16 DE JANEIRO 2013
LOCAL: Ribera d’Ondara
INTERVENIENTES:
·         CÂMARA MUNICIPAL DE NELAS – Manuel Marques (Vereador)e Amadeu Salvador (Veterinário), Luís Costa (Técnico Superior)
·         AZU (Ambiente em Zonas Uraniferas) –António Minhoto (Presidente) e Joana Travessas (Consultora)
·         Fernando Neto (Folha do Centro)
Objectivo:
·         Efectuar uma visita sem aviso prévio à empresa PGG, para conhecimento da laboração normal da indústria
·         Recolher informações, junto da Empresa, acerca do projeto pretendido para Nelas
·         Auscultação da população envolvente à área de implantação da empresa acerca da empresa PGG
·         Verificação das condições do meio ambiente limítrofe
Visita:
8.30h–Visita às imediações da empresa
Foi feita visita a pé às imediações da empresa, com identificação do leito de água aí existente.
No dia da visita o leito estava seco.
A flora envolvente encontrava-se morta e seca.
O terreno a jusante das instalações da PGG estava pastoso
10.00h – Visita à empresa PGG – PetFood
A comitiva foi recebida pelo Project Manager Máxim Borrull e pelo encarregado da empresa.
As questões colocadas pela AZU foram respondidas.
1 - AZU:Qual o projecto que pretendem para o concelho de Nelas? Igual ao previsto para Mangualde, em Várzea de Tavares?
PGG:Sim. Segundo Maxim Borrull, a PGG pretende que unidade industrial a instalar em Nelas venha a receber subprodutos animais de categoria 1, instalando inicialmente a categoria 3 e 2.

2 - AZU: Quantos trabalhadores operam nesta unidade industrial?
PGG: Aproximadamente 110 trabalhadores. Cerca de 60% são de populações vizinhas e os restantes são estrangeiros.
3 - AZU: Que quantidade de água é utilizada no processo?
PGG:250 m3/dia de água
4 - AZU: Para que efeitos?
PGG: Para processos de manutenção, limpeza, purgas.
5 - AZU: Não é necessário utilizar água para o processo de cozimento?
PGG: Não. As próprias carcaças libertam água.
6 - AZU: De que forma é feito o abastecimento de água?
PGG: De furos e da rede.
7 - AZU: De que forma é tratada a água residual resultante deste processo?
PGG: Através de uma ETAR.
8 - AZU: De onde resultam os maus odores que se sentem durante a laboração da empresa?
PGG: Do processo de cocção (cozimento) dos subprodutos, que resulta na libertação de vapor de água para a atmosfera.
A empresa informou que está a tomar medidas para diminuir os maus odores emitidos.
Foi solicitada a visita às instalações, tendo sido recusada visto não ter sido uma visita programada com a PGG.
14.00h – Entrevistas com vários habitantes das populações vizinhas.
Referimos algumas considerações feitas pelas pessoas entrevistadas, nas populações de Sant Antoli, LaRabassa, Cervera, Briançô, Sant PeredelArquells
·         “Se não fosse o estado económico do país, preferíamos ter outra empresa que não provocasse tantos maus cheiros”
·         “Houve alturas que dava vómitos o cheiro que se sentia aqui”
·         De há 1 ano para cá os dias com mau cheiro têm diminuído, e sentem-se mais na altura do Verão. Mas dantes o mau cheiro sentia-se frequentemente”
·         “Apareceram ratos desde que a empresa cá se instalou”
·         “As populações mais atingidas são aquelas que se encontram na direcção do vento, dominante que leva os maus cheiros até lá”
·         “Foram feitos referendos pelas populações mas que não deu em nada”.
·         “Utilizavam uns poços de água numa população próxima mas como secaram tivera de recorrer à rede de água pública”.


CONSIDERAÇÕES FINAIS
A posição que a AZU – Ambiente em Zonas Uraniferas apresenta com a elaboração deste relatório, teve em conta os seguinte pressupostos:
·         A PGG – PetFood pretende que a unidade industrial de Nelas processe matérias da subcategoria 1, o que obrigatoriamente terá que passar por um processo de incineração de acordo com Regulamento CE nº 178/2002. Este processo, e tal como acontece a titulo de exemplo em Souselas, leva à libertação de compostos cancerígenos;
·         Foram feitos referendos pelas populações das aldeias e vilas vizinhas contra a PGG - PetFood, contestando os maus cheiros que se sentem
·         Em Ribeira d’ondara as categorias processadas são apenas a categoria 2 e 3;
·         Apesar das alterações que tiveram lugar no último ano no processo produtivo da PGG, continua a sentir-se maus odores em alguns dias e épocas do ano (principalmente no Verão);
·         A PGG abordou anteriormente outras autarquias na zona centro de Portugal para a implantação desta unidade, sendo que as investigações levadas a cabo por grupos de habitantes e associações ambientalistas locais, levaram a que a PGG procurasse sempre outra autarquia como alternativa;
·         As investigações levadas a cabo pelos habitantes e associações ambientalistas locais, apresentaram sempre provas de elevados impactos ambientais ao nível das emissões atmosféricas, efluentes líquidos, fauna e flora
·         O transporte dos resíduos passará por várias populações até ao seu destino final, havendo registos de falta de condições sanitárias no seu transporte e de mau cheiro deixado na passagem pela via pública. Faz-se notar que ainda recentemente em Nelas, sucedeu um incidente que levou a que uma camioneta descarrega-se na via pública, uma grande quantidade de fezes de animais oriundos de explorações pecuárias, estando horas para ser resolvido. Situação essa de muito menor gravidade, face ao impacto que pode trazer uma empresa de transformação de resíduos animais
·         Existência de memória passada por parte das populações de uma empresa de fabricação de sabões junto a Vilar Seco com graves problemas ambientais, e a dificuldade que existiu para que saísse do concelho
·         O impacto que a empresa irá criar não só em Nelas, mas em todas as freguesias vizinhas e até no concelho de Mangualde.
Por todas as considerações enunciadas, a AZU está contra a instalação da empresa PGG na região e nomeadamente no concelho de Nelas, considerando que o custo/beneficio que irá daí decorrer, terá uma maior prevalência ao nível dos custos: para o ambiente, para as populações, que irão ver a sua qualidade de vida diminuída, custos para o turismo que se quer manter a par do desenvolvimento sustentável da região e que no nosso país é e será uma actividade de contínuo investimento para o futuro.
Estamos a passar por tempos muito difíceis, o desemprego aumenta a cada mês que passa, e a tomada desta posição por parte da AZU teve também em conta este flagelo. No entanto, o investimento para um futuro melhor passa também pelas decisões que se tomam no presente, que devem ser sustentadas no objectivo da melhoria da qualidade de vida de todos nós.




segunda-feira, 21 de janeiro de 2013

Comunicado 3 - Acerca da possível instalação da Empresa PGG no Concelho de Nelas


A AZU continua empenhada no processo e na construção do Dossier sobre a Matéria, relativamente à qual manifestamos a maiores reservas. Efetuámos uma visita a Espanha à sede da empresa espanhola PGG - Proteinas y Grasas Gimeno SL e zonas limítrofes, em conjunto com uma delegação mais ampla, incluindo a Câmara de Nelas e alguns elementos da População, no sentido de recolhermos elementos e avaliarmos a situação no terreno. Neste momento, estamos a analisar a situação em conjunto com os participantes na referida visita. Assim que esta parte do programa de construção do Dossier esteja clarificada, convocaremos uma Sessão de esclarecimento com a População no sentido de tomarmos a melhor posição para o interesse do Concelho de Nelas - População e Ambiente.

A Direcão da AZU